abr
20
2013

Até onde é bom estudar ?

Num período onde surgem escolas de Umbanda oferecendo os mais diversos cursos sobre a religião e toda ciência, magia e mecanismo que a envolve, já observamos uma verdadeira revolução consciencial dentro da Umbanda. Como em toda revolução o saldo é pesado no aspecto positivo e negativo. Então pergunto, até onde está sendo bom estudar a Umbanda? Parece conversa de louco, né?

Mas não é. Mês passado, estive com meu irmão Alexandro Cumino e nesta ocasião trocamos experiências nesta caminhada de ministrar cursos dentro da religião e, devido a esta prosa é que me surgiu a necessidade de escrever esta matéria. A Umbanda precisa de uma dialética própria, de fiéis mais preocupados com o conhecimento e uma normatização doutrinária. Isto é fato. Porém, também é fato que nos chegam diariamente “alunos” querendo criar uma situação muitas vezes desconfortável para o bom andamento das coisas.

Primeiramente é importante ter em mente que nossos antecessores na Umbanda, em sua maioria não tiveram a oportunidade que hoje temos de ir até um Colégio de Umbanda e buscar esclarecimentos diversos. Logo, o conhecimento destes irmãos ficavam a cargo do que a espiritualidade revelava individualmente, o que no meu ver é bom demais! E com todas as dificuldades que estes antigos Pais e Mães no santo se deparavam, ainda encontravam tempo e disposição para tocar um terreiro, cuidar e orientar os irmãos encarnados. Hoje, muito deles não precisam ou não tem disponibilidade para estudar o que o Astral nos oferta de novo.

O que muito me admira, são na maioria jovens, chegando aos colégios, travestidos de plena empáfia querendo tirar a prova dos nove com os orientadores de estudo, para no retorno colocar o sacerdote do terreiro que freqüenta na parede ou acusá-lo de nada saber e coisas do gênero. Estas pessoas mostram que até então nada aprenderam de valoroso no seu caminhar. Mais triste é saber que esta pessoa há algum  tempo chegou naquele terreiro sofrendo, precisando de uma limpeza, de um afago, de reajustes, de conforto espiritual e encontrou tudo isto. Equilibrou-se entrou para a corrente mediúnica, começou a ler alguns livros, e pronto: passa a encontrar um monte “erros” no terreiro. Então o próximo passo é começar a apontar os supostos “erros”. Procura um dos colégios e nas suas perguntas afirmativas já se revela, quando, por exemplo, pergunta: “Professor, e quando no terreiro o caboclo chefe faz “isto”, fala “aquilo”, bebe “acolá”, etc”…

Tristemente sabemos o que este irmão quer, ele pretende usar nossas palavras de forma negativa, e quando chega ao terreiro diz: “Olha fulano, lá no curso o professor falou que isto está errado” . Então acontece o caos. Aquele sacerdote que outrora confiou em enviar seu filho para um colégio já se arrepende pensando que o colégio quer desmoralizá-lo. Irmão leitor, você que faz um curso ou pretende fazê-lo, aconselho-lhe que faça. Porém, cuidado. Saiba que todo conhecimento que você buscar, tem valia apenas para você, não lhe dá o direito de se contrapor a nada e a ninguém, tampouco chegar na corrente em que pertence e ficar de cochichos escusos e negativadores da boa ordem.

Você só tem o direito e dever de relatar o que aprendeu quando alguém lhe interrogar, caso contrário, mantenha-se imparcial. Antes de mais nada, honre seu sacerdote, seja respeitoso e leal ao templo a qual pertence, e acima de tudo, saiba, que se hoje você está no caminho da evolução, isto se deve ao fato de ter encontrado o templo a qual pertence e ter tido os braços do seu dirigente estendidos a você. Este não lhe perguntou de onde vinha, que raça é a sua e profissão. pois ao abrir as portas do templo a você, está abrindo as portas do coração para lhe abrigar. Se você tem a oportunidade de estudar, que sirva de benefício a todos os que estão ao seu redor, começando pelo terreiro. Se em alguns pontos o terreiro for resistente ou não aceitar algum ponto de vista, respeite. Lembre-se, de que ele funcionava sem você e  que continuará funcionando, pois o que é necessário é o amor e a caridade.

Se por algum motivo você pensar que o terreiro não está bom, então, de forma respeitosa e grata peça licença para o afastamento, sem comentar ou apontar algo, sabe por quê? Porque se não está bom para você, é você quem deve sair de perto e pronto. Se você pretende estudar para ficar questionando o que é certo ou errado dentro do terreiro ou se posicionar como alguém soberano, então seu destino é a ignorância. Agora, se você antes de mais nada, você procura se esclarecer e tem consciência de que todo conhecimento alcançado serve apenas para você inicialmente, e que caso tenha oportunidade de multiplicar naturalmente, assim o fará, então meu irmão, para você vale a pena estudar.

POR RODRIGO QUEIROZ

Related Posts

Sobre o autor: Umbanda No Peito

Umbanda No Peito - Somos uma loja virtual de moda e acessórios 100% umbandistas (www.umbandanopeito.com.br) e surgimos com a intenção em disseminar a religião de Umbanda através de nossos produtos, textos, vídeos. A Umbanda nos faz bem, gostamos de ser e estar na Umbanda porque ela nos completa. Estampar e falar sobre a Umbanda é, ao mesmo tempo, agradecer todas as coisas boas da vida. Saravá Umbanda, Axé !

2 Comentários+ Adicionar Comentário

  • Simplesmente excelente!

  • Texto maravilhoso. Parabéns.

    Muito axé!

    Abs

Deixe um comentário

error: Obrigado pela visita :)